Linksan Agência Web
              
featured-image

Mitos sobre e-mail marketing

O e-mail marketing é uma ferramenta de marketing digital bastante antiga quando comparada com as mídias sociais. Mas isso não significa que seu retorno seja ruim, muito pelo contrário. Grande parte dos mitos sobre e-mail marketing surgem porque sua aplicação não é feita da maneira correta.

Quando você elabora um planejamento levando em consideração as peculiaridades desse meio, perfil dos usuários e objetivos da campanha, os resultados aparecem. Ter posse dos dados dos potenciais clientes, como seus endereços de e-mail, é valioso para a sua estratégia de marketing digital. No entanto, é preciso saber aplicar as melhores práticas e monitorar constantemente o desempenho das suas ações.

Quer conhecer os maiores mitos sobre e-mail marketing? Continue lendo e confira!

Ninguém mais lê e-mails

Seja para criar um perfil na rede social, ativar um serviço ou receber notificações, é necessário que você tenha um e-mail válido. Ou seja, é praticamente impossível alguém que acessa a internet não dispor de uma conta. Sabendo disso, o próximo passo é descobrir o que faz alguém ler a mensagem. Muitos acreditam que o remetente é o fator primordial. Mas será que é isso mesmo?

O principal desafio nesse caso é criar o interesse no usuário para que ele abra e confira a mensagem recebida. Há diversos fatores que implicam na taxa de abertura dos e-mail, como a segmentação e o título — se o assunto não for atraente, dificilmente o destinatário vai clicar e ler o conteúdo. Após conseguir a atenção da base, seu conteúdo deve atender à expectativa criada no título para que a sua credibilidade não seja afetada.

Comprar listas de e-mail dá bons resultados

A maneira mais fácil de estruturar um e-mail marketing é comprando uma lista com centenas ou até milhares de contatos. Bem, isso é o que a maioria das empresas acredita, porém, o que parece bom acaba por se tornar péssimo. Esse pode ser considerado um erro clássico, mas por quê?

Essa lista não é formada por seu público-alvo, é um amontoado de supostos clientes que possuem perfis e gostos diferentes. Ao receber um e-mail de sua empresa, os usuários não farão ideia de como o e-mail deles estava em sua base de contatos e isso causa uma impressão ruim. Sem contar que você gastará tempo e recursos para atingir pessoas que não são interessantes para o seu negócio.

É preciso enviar e-mails todos os dias

Do mesmo modo que é desagradável receber e-mails mal direcionados, você também não deve entupir a caixa de entrada do cliente. Assim, além dele se descadastrar da sua lista, seus e-mails podem ser denunciados como spam, o que é pior ainda.

Portanto, tente encontrar um equilíbrio na quantidade de e-mails enviados para cada contato. A melhor forma é fazer testes para saber o número ideal que não vai incomodar os usuários e gerar um retorno satisfatório.

Todos que estão na lista devem receber suas ofertas

Para atingir o alvo e entregar uma mensagem para quem, de fato, deve receber, é necessário segmentar a base de contatos antes do envio. Enviar e-mails para toda a base faz com que algumas pessoas recebam conteúdos irrelevantes. Dessa maneira, seus e-mails são ignorados e não surtem qualquer efeito.

Vamos supor que um cliente compre uma gravata em determinada loja de roupas e receba ofertas de peças íntimas femininas em sua caixa de e-mail. Como você acha que ele vai reagir? É provável que fique irritado com o estabelecimento e, no mínimo, peça para não receber mais e-mails.

Vender é o principal objetivo

É claro que o e-mail marketing é um grande aliado da equipe comercial para aumentar as vendas, no entanto, esse é apenas um dos objetivos. Você também pode e deve utilizar essa ferramenta para:

  • educar sua base de leads;

  • mostrar os seus diferenciais;

  • realizar pesquisas de satisfação;

  • fidelizar os clientes.

Enfim, se você tem esse instrumento em mãos e uma lista de contatos qualificados, é preciso usufruir de todos os benefícios oferecidos. Caso você tente empurrar seus serviços ou produtos o tempo inteiro e não ofereça conteúdos relevantes, sua base de clientes em potencial tende a diminuir.

É necessário utilizar uma linguagem formal

Um dos mitos sobre e-mail marketing que muita gente ainda acredita é que você não pode ser descontraído nesse canal. É claro que em algumas situações é importante que você tenha uma postura mais séria, mas são circunstâncias pontuais. Basicamente, o que vai definir a linguagem utilizada é o objetivo da mensagem, perfil do público-alvo e posicionamento da marca.

Imagine, por exemplo, uma empresa que produz jogos digitais e possui um público-alvo de jovens entre 15 e 25 anos, elaborando textos como se estivesse falando com um ministro da república. É impensável, concorda? Nem é preciso ir tão longe assim. Independente do seu segmento, você precisa humanizar a marca para se aproximar das pessoas. Caso aja como um robô sempre, o engajamento com o público será péssimo.

Não é possível ter designs diferenciados

Muitos empresários estão acostumados a utilizar o e-mail da maneira tradicional: redigindo textos na própria plataforma e mandando arquivos em anexo. Sendo assim, eles não enxergam outras possibilidades.

Da mesma forma que os blogs, redes sociais e sites permitem que você personalize os conteúdos com elementos visuais marcantes, o e-mail também oferece essa oportunidade. É possível criar um layout com a identidade visual da empresa e inserir elementos dentro da mensagem para torná-la mais atraente.

O e-mail marketing não dá muito trabalho

A primeira impressão de quem começa a utilizar o e-mail como uma ferramenta de marketing é que a tarefa será bem simples. Afinal, estamos acostumados a utilizar esse meio desde  início da internet. Mas não é bem assim que acontece na prática.

Se você quer ter resultados com essa estratégia, saiba que você vai precisar criar conteúdos interessantes frequentemente, automatizar o envio das mensagens de acordo com o perfil do usuário e o estágio em que ele se encontra no funil de vendas, fazer testes para identificar as melhores práticas, entre outras atividades. Tudo isso requer bastante atenção e, obviamente, tempo.

E-mails são ruins para análises e mensuração

É de extrema importância saber quais resultados foram alcançados em qualquer campanha de marketing. Plataformas como o Google AdWords e Facebook Ads dispõem de ferramentas próprias que fornecem diversas informações sobre o desempenho dos anúncios patrocinados. Logo, muitos acreditam que o e-mail marketing leva desvantagem por não oferecer esse recurso.

O que essas pessoas não sabem, é que hoje existem inúmeros softwares que revelam dados precisos, desde a taxa de abertura de e-mails até a taxa de conversão. Com isso, você consegue ter o conhecimento do retorno obtido em sua estratégia de e-mail marketing e identificar os pontos que precisam ser melhorados.  

Como você pôde perceber, vários mitos sobre e-mail marketing vêm de práticas antigas que já não funcionam mais nos dias atuais. Além do comportamento do público ter mudado, hoje temos diversas ferramentas que nos ajudam a ter mais resultados com essa estratégia. O marketing digital está em constante evolução e quem não se adequa acaba perdendo espaço para os concorrentes.

Quer saber mais sobre o assunto? Leia nosso artigo sobre a importância da sua empresa ter um e-mail personalizado!

Post Your Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Inscreva-se em nossa Newsletter
Loading
Arquivos
Copyright ©2021. Linksan - Todos os Direitos Reservados